terça-feira, 6 de novembro de 2012

Pentecoste Bíblico

Resultado do Pentecoste: Uma pregação cristocêntrica na sua essência (Atos 2.22-36)
O sermão de Pedro no Pentecoste teve quatro argumentos: 1) A morte de Cristo - A cruz não foi um acidente, mas parte do plano eterno de Deus (At 2.23; 3.18; 4.28 e 13.29). A cruz não foi uma derrota para Jesus, mas sua exaltação. Ele marchou para a cruz como um rei para a sua coração. Foi na cruz que Ele conquistou para nós eterna redenção e triunfou sobre o diabo e suas hostes, expondo-os ao desprezo. Foi na cruz que Deus provou da forma mais eloqüente seu amor por nós e seu repúdio ao pecado. Na cruz, a paz e a justiça se beijaram. Cristo não morreu na cruz como mártir. Ele espontanea­mente se entregou por nós. A cruz não foi um expediente de última hora, mas um plano eterno que nos revela a santidade de Deus e o seu amor incomensurável. 2) A ressurreição de Cristo (At 2.24,32) -Não adoramos um Cristo morto, vencido, preso à cruz, impotente, mas o Jesus vitorioso, que triunfou sobre a morte, derrotou o pecado, desfez as obras do diabo, cumpriu a lei, satisfez a justiça de Deus e nos deu eterna redenção. 3) A exaltação de Cristo (At 2.33) - Ao consumar sua obra aqui no mundo, Jesus ressuscitou em glória e comissionou seus discípulos a pregar o Evangelho em todo o mundo, a cada criatura. Depois, voltou para o céu, entrou na glória, foi rece­bido apoteoticamente pelos anjos e assentou-se à destra do Pai, para governar a igreja, interceder por ela e revesti-la com o poder do seu Espírito. 4) O senhorio de Cristo (At 2.36) - Jesus é dono, senhor e rei sobre tudo e sobre todos. Ele exerce autoridade suprema sobre nossa vida. O conteúdo da mensagem de Pedro foi Jesus, e Jesus so­mente. Quando o Espírito vem sobre nós com poder, não temos outro tema a pregar. O ministério do Espírito Santo é exaltar a Jesus (Jo 16.13,14). Uma vida cheia do Espírito Santo é uma vida cristocêntrica. O ministério do Espírito é o ministério do holofote. Ele não lança luz sobre si mesmo. Ele não fala de si mesmo. Ele não exalta a si mesmo. Ele projeta luz na direção de Alguém. O Espírito Santo aponta para Jesus e o exalta.

Livro "PENTECOSTE O fogo que não se apaga"  Hernandes Dias Lopes