segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ceia do Senhor: Comer e Beber ou Adorar


A Ceia do Senhor e a adoração

 

Lucas 7:36-50
"36 - Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele. Jesus, entrando na casa do fariseu, tomou lugar à mesa. ( Ou Cear com ele)
37 - E eis que uma mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele estava à mesa na casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento;
38 - e, estando por detrás, aos seus pés, chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o ungüento.
39 - Ao ver isto, o fariseu que o convidara disse consigo mesmo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, porque é pecadora.
40 - Dirigiu-se Jesus ao fariseu e lhe disse: Simão, uma cousa tenho a dizer-te. Ele respondeu: Dize-a, Mestre.
41 - Certo credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários, e o outro cinqüenta.
42 - Não tendo nenhum dos dois com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Qual deles, portanto, o amará mais?
43 - Respondeu-lhe Simão: Suponho que aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe: Julgaste bem.
44 - E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para os pés; esta, porém, regou os meus pés com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos.
45 - Não me deste ósculo; ela, entretanto, desde que entrei não cessa de me beijar os pés.
46 - Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta com bálsamo ungiu os meus pés.
47 - Por isso te digo: Perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa pouco ama.
48 - Então disse à mulher: Perdoados são os teus pecados.
49 - Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados?
50 - Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz."
"36 - Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele...
Afinal, o que é um fariseu?
Talvez a resposta a essa pergunta nos permita ver os fariseus de um modo um pouco diferente do que estamos acostumados. E quem sabe os fariseus não tenham também um lado que não é tão ruim assim.
Em primeiro lugar, apesar da sua má fama, os fariseus, ao contrário dos saduceus, tinham uma boa profissão de fé: "Pois os saduceus declaram não haver ressurreição, nem anjo, nem espírito; ao passo que os fariseus admitem todas essas coisas" (At 23.8). Os fariseus, portanto, criam na ressurreição e, portanto, acreditavam na vida eterna.
Em segundo lugar, foi um fariseu que certa vez convidou Jesus para jantar: "Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele. Jesus, entrando na casa do fariseu, tomou lugar à mesa" (Lc 7.36).
Em terceiro lugar, foram os fariseus que advertiram o Senhor Jesus das intenções do rei Herodes. Lemos em Lucas 13.31: "Naquela mesma hora, alguns fariseus vieram para dizer-lhe: Retira-te e vai-te daqui, porque Herodes quer matar-te".
Em quarto lugar, na igreja primitiva havia também fariseus que, apesar dos seus muitos erros, chegaram à fé viva no Senhor Jesus Cristo: "...entretanto, alguns da seita dos fariseus que haviam crido..." (At 15.5). Estes eram realmente alguns que se haviam convertido do farisaísmo corrompido, razão porque a Bíblia Viva traduz assim a primeira parte deste versículo: "Foi então que alguns dos homens que tinham sido fariseus antes de se converterem..."
Em quinto lugar, um dos maiores apóstolos e evangelistas, ninguém menos que Paulo, era originário do grupo religioso dos fariseus. Paulo sempre confessava este fato com toda a franqueza. Ele mesmo disse que havia estudado com um dos fariseus mais conceituados e rigorosos de sua época: "Eu sou judeu, nasci em Tarso da Cilícia, mas criei-me nesta cidade e aqui fui instruído aos pés de Gamaliel, segundo a exatidão da lei dos nossos antepassados, sendo zeloso para com Deus, assim como todos vós o sois no dia de hoje" (At 22.3). Mais tarde, quando esteve pela primeira vez diante do Sinédrio como prisioneiro, Paulo exclamou: "Varões, irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseus." Aqui ele não apenas confessou que pertencia ao grupo dos fariseus, mas também se reportou à confissão de fé deles, dizendo mais adiante: "No tocante à esperança e à ressurreição dos mortos sou julgado" (At 23.6). E mais tarde, quando Paulo teve de se justificar diante do rei Agripa, ele disse sem rodeios: "Quanto à minha vida, desde a mocidade, como decorreu desde o princípio entre o meu povo e em Jerusalém, todos os judeus a conhecem; pois, na verdade, eu era conhecido deles desde o princípio, se assim o quiserem testemunhar, porque vivi fariseu conforme a seita mais severa da nossa religião" (At 26.4-5). Nesse mesmo sentido, Paulo também escreveu aos filipenses: "circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu" (Fp 3.5).
Apesar de nós, crentes da Nova Aliança, termos freqüentemente a tendência de rejeitar por completo todos os fariseus sem fazer distinção, temos de concordar que eles tinham um bom fundamento por crerem na ressurreição dos mortos.
Hipocrisia e grande conhecimento
Por quê? Além da característica mais marcante de um fariseu, que Jesus mencionou muitas vezes – a hipocrisia –, ainda havia outra coisa que era própria de um fariseu: sua grande erudição, seu enorme conhecimento.
Talvez tenha sido o maior pecado dos fariseus: erudição e conhecimento. Os tornavam pessoas arrogantes, prepotentes, exaltados...
O verdadeiro conhecimento traz humildade e simplicidade.
Os fariseus de fato eram letrados – homens muito cultos e exímios conhecedores das Escrituras. É dito, por exemplo, de Gamaliel, um dos maiores fariseus daquele tempo e mestre do jovem Saulo de Tarso: "Mas, levantando-se no Sinédrio um fariseu, chamado Gamaliel, mestre da Lei, acatado por todo o povo..." (At 5.34). Segundo tradições judaicas, esse Gamaliel até era chamado de "o esplendor da Lei". Mas era justamente isso que fazia com que os fariseus se tornassem fariseus.
Pois, ao invés dessa enorme erudição conduzi-los à verdade, grande parte deles seguia por um caminho totalmente errado. Tanto é que Paulo, o maior fariseu de todos os tempos, reconheceu esse fato, pois escreveu aos coríntios: "O saber ensoberbece, mas o amor edifica" (1 Co 8.1b). Os fariseus realmente tinham grande conhecimento, mas justamente por isso se tornaram hipócritas e cheios de si, pois lhes faltava o amor ao próximo. Não é de admirar que Paulo tenha exclamado com firme convicção: "Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé" (Fp 3.7-9).
Paulo estava disposto a desembaraçar-se de tudo o que havia aprendido como fariseu para ganhar "a sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus." Com essa postura ele ficou bastante isolado em meio aos seus antigos companheiros de religião, pois a maioria dos fariseus não alcançou este verdadeiro conhecimento.

Voltando a ceia e adoração

Deus implantou uma necessidade natural de adoração no ser humano. O coração do homem vive em busca de adoração. Adorar é um sentimento natural peculiar a natureza humana. Adorar pessoas, coisas, dinheiro, divindades etc.

Adorar é como ter sede e fome ou vontade de dormir.
No livro “fator Meuquizedeque” o autor relaciona diversos povos que sem nenhuma influencia externa construíram altares e adoravam algum deus.

Os arqueólogos em suas escavações na America sul e central encontraram vestígios de civilizações milenares e em muitos lugares foram achados templos e altares. Os Astecas e os Incas tinham vários templos e altares de sacrifícios.

A música também estar diretamente ligada à adoração. Em todas as religiões há adoração com música.

Os povos mais primitivos e tribais, eles cultuavam seus deuses com música danças e instrumentos.

Em escavações arqueológicas foram encontrado instrumentos pré-histórico, riscos em pedra de rimos (movimentos) que descrevem como danças.

Os  primeiros índios não entraram em uma escola para aprenderem a cantar, dançar e fabricar instrumentos musicais.

Em Gn 4. 21 aparecem o primeiro músico que fabricava instrumentos
Em Gn 4.3-7 Abel e Caim já ofertavam sacrifícios como adoração.
Em Gn 4.26 Sete começou a invocar o nome do Senhor.
O vazio dentro de cada ser humano só pode ser preenchido pelo único e verdadeiro motivo de adoração: o nosso Deus.

O rei Ezequias encontrou deuses estranhos no templo.
O povo de Israel adorava e queimava incenso a Neustã, (pedaço de bronze) uma deusa antiga.

Números 21:9  Fez Moisés uma serpente de bronze e a pôs sobre uma haste; sendo alguém mordido por alguma serpente, se olhava para a serpente de bronze, sarava.

O rei Ezequias. 2 Reis 18:4  Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo; e fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã.

Havia os adoradores do sol; os egípcios, Gregos, incas, astecas.
Quem acredita em horóscopo  acabam adorando o sol a lua e as estrelas

Todo ser humano é um adorador nato. Porque Deus já formou o homem, inserindo a vontade natural de adorar.

A questão é: Adoração natural e instintiva a qualquer deus e coisas ou adoração verdadeira a um Deus vivo e verdadeiro; adoração racional.

Jo 4.20  Nossos pais adoravam neste monte( Gerizim); vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar.
(As 10 tribos no norte com Jeroboão formaram o reino e a capital era Samaria) as duas tribos Judá e Simeão no sul capital Jerusalém rei Roboão filho de Salomão.
21   Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai.

Nesta passagem bíblica Jesus estava abolindo a adoração sectarista e derrubara a bandeira da adoração geográfica e religiosa e implantando uma nova visão de adoração quebrando os paradigmas da adoração vazia da religiosidade.


23 Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.

É preciso entender o significado dos termos bíblicos para entendermos  o que estamos fazendo em nossos templos e em nossa vida diária de adoração.

Louvor:  Dicionário Brasileiro - Ato de louvar; elogio; glorificação; aplauso e exaltação.
Culto: Dicionário Brasileiro Globo - Homenagem que se presta à divindade; adoração; veneração.
Adoração: Dicionário Brasileiro Globo - Culto a Deus; (fig.) amor profundo; veneração.
Minidicionário Luft - Ato de render culto a (divindade). 2. Amar ao extremo.
Por isto que o amor ao dinheiro é uma idolatria.
Nos textos originais da Bíblia descobrimos expressões  que foram traduzidas para o Português como CULTO, LOUVOR ou ADORAÇÃO. O que encontramos no Antigo Testamento para o significando de adoração, é a de curvar-se, colocando o rosto em terra, diante do objeto ou pessoa que estejam sendo cultuados ou adorados. Adoração do hebraico foi traduzida, na SEPTUAGINTA, como PROSKUNEIN.
O Espírito de Deus está em nós, ou seja, nós estamos imersos nele. Somente quando o nosso espírito se abre para ele é que ele entra na nossa vida e faz a sua obra, mapeando nossas fronteiras, nosso eu, fazendo com que haja comunhão entre nós e ele. O culto individual e o culto em comunidade  são ações em que essa comunhão com Deus pode ser desenvolvida. O nosso culto individual com Deus é que nos prepara para o  culto em comunidade ( cear juntos) e nosso culto em comunidade vai autenticando nosso culto e nossa comunhão com Deus.

Vamos utilizar algumas palavras do grego usado no Novo Testamento para melhor entendimento do significado de Adoração.
Adorar (proskunein) usado por Jesus no diálogo com a samaritana  foi o que deu o entendimento de adoração sem lugar definido e sem objeto de sacrifício. O ser humano é fascinado por local e objeto de adoração.

O cântico, o louvor é apenas  uma parte da adoração. Há muito mais comprometimento. Serviço ao Senhor ( latreuein adorar com serviços e ofertas). Se adorarmos a Deus nos cultos apenas, não somos adoradores de verdade. Latreuein grego: Serviço.

Mt 4.10 Jesus respondeu a satanás: ao Senhor teu Deus adorarás ( proskunesis, ato de viver a vida adorando) e só a Ele darás Culto ( latreuseis, um momento de celebração, ofertar, cultuar etc.)

Proskunesis O primeiro a descrever proskunesis ('beijar para') foi o grego pesquisador Heródoto que viveu no século V aC. O que Heródoto descreve como um gesto que viu nas ruas entre os persas foi ritualizada nas cortes orientais. Em função da sua classificação, o visitante teria de prostrar-se, ajoelhar-se na frente, ou arco para manda um beijo para o rei. (revista de Guerra Antiga).

O mais importante deste significado é que os adoradoradores tinham que viver fazendo este ato sempre que passava diante do arco ou do palácio do rei. Era um ato constante; ato de viver a vida adorando. Era um ritual que praticavam nas ruas, nas casas, nos templos; era a vida diária das pessoas. E Jesus usou este termo grego para entendermos que a adoração é diária.
Proskunesis  o diabo pede Jesus para adorá-lo. Para resistir as tentativas de barganhas do diabo, é preciso uma vida de adoração a Deus.

Latreousa: uma adoração que envolve jejum, oração e lágrimas. A profetisa Ana, uma viúva de 84 anos, servia (latreousa) ao Senhor no templo, numa adoração de jejuns e orações, noite e dia.

Latreia: adoração que envolve o culto religioso e seus rituais. Ceia, batismo, ofertar, apresentação de crianças...

Leitourgeu (adoração) uma palavra composta: laos povo e ergon trabalho ou    trabalho para o povo. Sacerdócio. Vem a palavra liturgia. Os levitas que se ocupavam com os ritos sagrados do tabernáculo ou do templo.

Adoradores religiosos procuram  Deus, os verdadeiros adoradores são procurados por Deus.

Jo 4.24  Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.

E o (Logiken) em espírito e em verdade é uma adoração sem mascaras. VERDADEIRA.

Logiken: Lógica  pronúncia do grego antigo,  a arte de pensar,  é o estudo da racionalização ou raciocínio.  A lógica examina a validade dos argumentos.

Jesus usa este termo (Logiken) em adoração para dizer que a adoração tem que ter lógica – verdadeira sem máscaras. Adoração com lógica (Logiken) é uma adoração sem esquizofrenia; choque de personalidades dentro de uma só pessoa. Adoração com lógica é adorar sem máscaras. Adoração em espírito e em verdade.

Voltaremos ao texto lido. A mulher pecadora e adoradora que foi perdoada.

Adoração é uma palavra composta do latim   ad-a-oris literalmente adorar é pôr a boca na mão, ou beijar a mão. 
Adorar: Inclinar a cabeça, ajoelhar e beijar as mãos ou os pés.  Lc 7.37 e 38 - E eis que uma mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele estava à mesa na casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento; e, estando por detrás, aos seus pés, chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o ungüento.
Esta mulher  nada pediu e tudo recebeu. Era “pecadora” ou prostituta. Verdadeira adoração, todos sabiam a sua identidade, sua vida o que ela fazia. Ela estava ali sem máscaras. Parece ante-religioso dizer que aquela mulher era uma adoradora em espírito e em verdade sem mascaras. (Logiken) Lógica. Era ela mesma que estava ali. Com vergonha, desprezada; sem máscaras.
Só não intendo como ela consegue entrar na casa de um fariseu 

Jesus entra em defesa desta mulher Lc 7.44 - E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para os pés; esta, porém, regou os meus pés com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos.

47 - Por isso te digo: Perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou;
48 - Então disse à mulher: Perdoados são os teus pecados.
49 - Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados?
50 – “Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz."
Ajoelhar beijar os pés de Jesus. O Que representa?
1.Representa uma total dependência ao Senhor e uma profunda insatisfação pela vida que temos levado diante do Senhor.
2.Confissão e arrependimento de pecados.

Foi o que aquela mulher fez. A para seguir sua vida em paz; Jesus disse: A tua fé te salvou; vai-te em paz.

Fontes de pesquisas: Adoração Bíblica de Russell Shedd e comentário no Novo Testamento de Russel Norman Champlin

Nenhum comentário:

Postar um comentário